Sínodo da Amazônia não pode ser uma reunião política e ideológica, diz Marcos Rogério

Marcos Rogério disse que os congressistas devem deixar o “romantismo em torno da floresta”

O senador Marcos Rogério (DEM-RO) pediu nesta segunda-feira (14), em Plenário, cautela aos participantes do Sínodo da Amazônia, realizado no Vaticano. Para o parlamentar, os bispos e demais convidados devem destacar a realidade da região e de suas populações sem apego político e ideológico.

Marcos Rogério disse que os congressistas devem deixar o “romantismo em torno da floresta” de lado e pensar nas necessidades das populações que precisam sobreviver da região e também em formas de desenvolvimento do local.

— Na verdade, sabemos que todo e qualquer tema de abrangência internacional dificilmente é tratado livre de preconcepções políticas e ideológicas. Quero crer, todavia, que o Sínodo da Amazônia esteja livre dessa polarização que vige no mundo — afirmou Marcos Rogério.

O Sínodo da Amazônia, realizado entre 6 e 27 de Outubro de 2019, é liderada pelo papa Francisco e reúne 250 participantes, entre bispos, cientistas, líderes políticos, representantes de ONGs e povos indígenas, para discutir a situação da Floresta Amazônica e questões ligadas ao meio ambiente, aos povos indígenas e à região.

Fonte: Agência Senado

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA